<$BlogRSDURL$>
gaveta
31.10.05

gripes

este homem está na falência
ou multimilionário


abba maria sem graça nenhuma
ainda hesitei muito, sem saber se os punha ou não aqui na gaveta. mas tenho de pôr. um pó de estimação deste tamanho tem de estar obrigatoriamente incluído...


fim do mês

e para mim vai ser uma água lisa... com gelo e limão por favor.


citizen cake

you wan' a piece 'a me?!


as coisas que eu sei
isto é um ciclone.
se girasse para a a direita era um anticiclone.


...


perfeição tortográfica


as coisas que se ouvem às 7 da manhã
informação de trânsito trazida até si por bacalhau pascoal



café
olé

30.10.05

tenrinha
sempre me assustou (e ainda me faz impressão se estiver sozinha) o raio do barulho dos golfinhos na intro do oceano pacifico da rfm


constelação de valquírias


nimbus


não há nada que pague uma boa noite de sono. pura paz.



cover the real thing

ontem fui ver. sem quaisquer expectativas. santiago alquimista. muito bom. mesmo. apesar de todos os problemas técnicos, foi o chamado espetáculo. aconselho com veemência . porque dunga a neura toda.
fica aqui o link.

29.10.05

no metro
não caiu, simplesmente h-chosse


caixa de pandora
abrir com cuidado



de como eu gosto de pique-niques


frutografia



se
tu
fores
anjo

meu amor,

eu
serei
anja?


era fidalgo
josé da silva e reis de sousa da costa e de ferreira santos



adoro moinhos


e ele só queria lieberdade

28.10.05

não gosto de mealheiros.
é darmos esmola a nós próprios.










(e sou menina poupadinha, já se vê...)


programa
passear em papelarias


não me lembro... não estou bem a ver

27.10.05


-o que é que costuma fazer para descomprimir?
-ponho uns ténis e corro, corro tudo o que tenho a correr até ficar sem ar. e depois volto.


um ridente
que eu hoje estou assim

(mas o que será aquela a chave inglesa?)


não suporto as pessoas que dizem streck em vez de stress.


amarelos azuis verdes


-fast food?
-não, slow blues.


eu já não.
mas não chateio ninguém.

26.10.05

ele tinha isto guardado como rtartarita.


hoje, por mais que trocasse e voltasse a pôr, não havia destino que me ficasse bem. troquei vezes infinitas em frente ao espelho mas ficava sempre mal. saí de casa com o último destino que experimentei e já não quis saber mais, paciência. (mas andei desconfortável o dia todo)


converti-me
nova sintonia: g mail

(gracias you know who)


Never explain. Your friends do not need it and your enemies will never believe you anyway.

Elbert Hubbard




se eu fosse um menino, era o menino nicolau


contra relógio
ainda não tive tempo para dividir as minhas personalidades





só para avisar que eu hoje comprei uma bóina


eu ainda sou do tempo em que um substantivo era um substantivo e não um nome. e o F era éfe e não fê.


le feu


"Ao José Gomes Ferreira" (mas podia ser para mim)
Por baixo a cidade
dentro da gaveta.
Lua de saudade
no céu do poeta.

No bolso uma estrela
e uma borboleta.
Um dragão que vela
o sono do poeta.

No peito uma rima
da dor mais abjecta
saltando por cima
do amor do poeta.

É o medo o medo
que abre uma greta
e mostra o segredo
que queima o poeta.

No fundo a certeza
da morte completa
que se senta à mesa
do próprio poeta.

E a morte é um lírio
que enfeita a sarjeta
aberta em delírio
à voz do poeta.

por Joaquim Pessoa

25.10.05

da série "este natal eu quero..."
um trampolim
sempre quis saltar loucamente numa coisa destas.
com a vantagem de dar uma óptima mesa de jantar.


jamais daria uma boa vidente. vejo mal ao longe.


all about the pose


da série "este natal eu quero..."
uma lareira
(começamos cedo.
há muito a pedir e não se paga mais por isso.)


de como eu amo tudo no cohen
Dance me to your beauty with a burning violin Dance me through the panic 'til I'm gathered safely in Lift me like an olive branch and be my homeward dove Dance me to the end of love Dance me to the end of love Oh let me see your beauty when the witnesses are gone Let me feel you moving like they do in Babylon Show me slowly what I only know the limits of Dance me to the end of love Dance me to the end of love Dance me to the wedding now, dance me on and on Dance me very tenderly and dance me very long We're both of us beneath our love, we're both of us above Dance me to the end of love Dance me to the end of love Dance me to the children who are asking to be born Dance me through the curtains that our kisses have outworn Raise a tent of shelter now, though every thread is torn Dance me to the end of love Dance me to your beauty with a burning violin Dance me through the panic till I'm gathered safely in Touch me with your naked hand or touch me with your glove Dance me to the end of love Dance me to the end of love Dance me to the end of love

também brilhantemente cantado por madeleine peyroux - a ser dançado como que voa, toda a noite, de preferência em frente à lareira e de copo na mão

24.10.05

nunca ninguém definiu divórcio tão bem como fernando grade*:


pus todos os teus beijos debaixo do rabo


*poeta português que se passeia pelas nossas ruas, de barba, vestido de preto, carregando grande saco de serapilheira


a minha estupidez
fico sempre surpreendida quando penso que há pessoas que nunca viram o mar


os anjos devem ser mais ou menos assim


branco espírito santo



quando fazes pop já não há stop



agora não que estou okupada



(as comédias têm de ser bem passadas mas o que eu detesto são filmes de terror)


se eu fosse uma editora era a assírio&alvim


lutarei sempre nesta posição


a dar uma de witty
a blogosfera é um sítio cheio de lugares comuns


justiça parte II
odeio o bicho em si (ficam para outra ocasião os dados em falta concernentes ao trauma).
e portanto, em voltface kármico, sabe-me que nem ginjas um bifinho de avestruz.

23.10.05

deu-lhe com a ferramenta a noite toda



era subtil
sub ria


black magic


milagre


-ele virou-se e disse: "blow my job"
-e ela?
-ela?


- e tu, pintas?
-sim, as unhas

22.10.05





sabes que és un ícone
quando
depois de te fazerem isto à cara
ainda sabem quem és


o meu nariz anda a deitar abaixo florestas para se poder assoar.
mas contribui com água para o combate da seca.
em que é que ficamos?


agora estou conformada mas
já quis chamar-me angie - aindjéééééééééé, aindjééééééééé
já quis chamar-me claire - claire, the moment i met you i swéééér
já quis chamar-me georgia - georgia on my mááaáááááinde



maria albertina é que nunca. nem vanessa.


enfrente-se a verdade

apesar, sou mainstream

21.10.05

desculpe, pode repetir?
na página do msn brasil, pode ler-se a notícia bebés chineses à venda- site de leilões chinês oferece venda de bebés com menos de 100 dias por 28 mil iuans

mas logo a baixo, temos o flash informativo que proclama o fim das varizes- conheça os melhores tratamentos para eliminar essas indesejáveis inimigas


do mais bonito que já me fizeram
espera. fica quieta. põe-te assim, queixo para cima. não te rias. olha para mim. assim. está bem. agora não te mexas. espera. põe-te como estavas. sim, também pode ser assim. pronto, já podes ver.
sem palavras.
o meu pântano a carvão. todo cheio de mim sem mim. com mais folhas que mil folhas.


mas não mo deste. um dia quero-o. se te vir outra vez peço-to. isso e o céu roxo impossível com núvens cor de laranja.


do mais bonito que me disseram
amo-te até ao fim das coisas todas


nervosos miudinhos


mais um
tesouro


não perder
passei aqui e fiquei fascinada


adivinha

quem está doente quem é?
quem é que se afoga em paracetamol?
quem é que alterna entre cigarros e drills?
e quem é que vai acordar às 6 da manhã para trabalhar, quem é?


la mancha



francisco de goya (1746-1828)
perro semihundido en la arena

simplesmente maravilhoso.
mas não só.


posta


hoje telefonaram-me a perguntar se estava disponível para uma sessão fotográfica cujo objectivo era compor o ramalhete de gente que irá aparecer no cartaz de campanha eleitoral do márinho. nem cheguei a perguntar quanto. disse logo que não. portanto, minha boa gente, empenhados encarregados de imagem do dito senhor, obrigada por me terem dado a hipótese de ser coerente. em consciência. e pela chance de rir a bom rir quando vir quem lá apareceu, pensado que até podia ser eu!

p.s. isto fez-me lembrar outra coisa: perto de onde faço que trabalho deve existir uma associação de cegos - todos os dias me cruzo com alguns na mesma rua, o que me oferece, logo ali de caras, a minha boa acção do dia take away


nunca mais me esqueci
ouvida há muito da boca de um comediante no jay leno:

I do't have a chin so I drewl directly into my underware


justiça
recebi um mail a alertar para a existência de provadores em certas lojas que têm câmaras ocultas atrás do espelho.
não estou preocupada. se me vêem em trajes menores, também me vêem a espremer borbulhas.


dou por mim a pensar que é verdade, sou mesmo foto gráfica.
nada foto génica. mas muito foto gráfica.
não só pelos trocadilhos,
mas porque de facto,
nada se pensa sem imagem.



leit motiv

20.10.05

a propósito



Sanity and happiness are an impossible combination.- The Mysterious Stranger M. Twain
mas hoje eu estou
...as happy as a dog with two tails.- The Adventures of Thomas Jefferson Snodgrass M. Twain
acordei sem dores de cabeça, com o corpo leve e com a alma cheia de esperança


caíram-lhe os dentes até à decadência.
mas com esses ficou.


em mudanças. agora com vista para o mar.
que chega o inverno e hora de trocar as peles.
os comments emigraram. eu aviso quando voltarem.
entretanto os mais opiniosos podem sempre escrever para a gaveta.

assim tem mais a ver comigo.
tudo o que eu digo agora toma ou não toma contornos mais imponentes?
estou contente apesar do perfil ridículo agogojado lá em baixo e de todos os meus queridos links terem ficado esmagados no fundo do poço (nada que um scroll não resolva).
prevejo vários problemas no futuro mas por agora estamos bem. viva-se o momento.

19.10.05

a ver se arrumo o palácio.
está a dar bronca.
fique para ver.



ceci n'est pas um peúgo


 

Web Site Counter